19 de novembro de 2016

Quem deve pagar pela crise financeira do estado do Rio de Janeiro?

Neste país, a farra com o dinheiro público não tem limites.

A classe política parasitária se apossa do poder e, ao invés de agir em prol do bem comum, começa a trabalhar, incessantemente, apenas por si, sua família e seus "amigos".

O contribuinte sustenta com o seu suor todas as extravagâncias promovidas por alguns agentes públicos, caso do Sérgio Cabral, ex-governador que ajudou a falir o Rio de Janeiro, que levava uma vida de rei, não porque conquistou riqueza com trabalho honesto, mas porque roubou dos cofres estatais, se envolveu em negociatas e falcatruas em conluio com empresários canalhas. Enquanto alguns esbanjam, vivendo numa realidade onde os efeitos da crise e da recessão econômica passam longe,  o estado agoniza e não tem recursos para pagar os seus servidores, os aposentados e nem para manter os serviços básicos em funcionamento tão necessários para os cidadãos humildes. 

Observe alguns itens de luxo apreendidos pela polícia junto com a prisão do ex-governador do estado carioca.  Os objetos pertencem à família Cabral e, supostamente, são oriundos de propina.





O político, enfim preso, deve pagar por todos os males e desfalques que causou aos cofres públicos. É injusto que o povo seja ainda mais sacrificado com medidas administrativas e fiscais, caso da PEC 55 em nível federal e o pacote anticrise do governo Pezão em trâmite na ALERJ, cujas propostas visam o arrocho salarial, aumento de impostos e tributos e redução de investimentos em setores fundamentais, como saúde e educação. É imoral e inadmissível transferir a responsabilidade para a população e para os trabalhadores a conta de uma enorme dívida criada por uma classe política asquerosa e corrupta. 



Esperamos que junto com Cabral e Cia, outros figurões sigam (e permaneçam) para a cadeia, que é o local adequado para esse tipo de gente, e que todo o dinheiro e vantagens obtidas indevidamente sejam devolvidas ao erário. Cadeia para os ladrões, os quais, por muito tempo, zombaram das leis, tiraram proveito da impunidade, massacraram o povo e fizeram o infortúnio desta nação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado em breve!